Fale Conosco

Utilize o formulário abaixo para entrar em contato direto conosco, responderemos o mais breve possível.

Endereço:
Carlos Luzardo
Rua Gonçalo de Carvalho, 181
Porto Alegre, RS - Brasil

Map-trigger
Fechar
Logo Bonze-shadow

Redação
da Semana

Confira aqui os temas das redações da semana de todas as semanas do ano, além de videos, matérias e imagens relacionadas.

Tutorial e tema [ REVISÃO UFRGS ] AULA 1 2018



Material de Apoio






Tutorial e tema [2 semestre] AULA 15 2018



Material de Apoio


Apoio 1

Apoio 2





Tutorial e tema [2 semestre] AULA 14 2018



Material de Apoio


Apoio 1

Apoio 2





Tutorial e tema [ 2 semestre] AULA13 2018


TUTORIAL

 

A idealização do índio, presente na primeira geração do Romantismo, foi uma explícita tentativa de construção de um sentimento nacionalista no Brasil. Todavia, essa supervalorização permaneceu apenas no plano literário, e não foi refletida no âmbito social. Sendo assim, percebe-se, desde os primórdios da colonização, a “europeização” de indígenas e a degradação de suas tradições. Indubitavelmente, o contexto “alimentou” um preconceito que, até hoje, se responsabiliza pela discriminação contra nativos e contra seus hábitos culturais.

 

Na obra “Raízes do Brasil”, Sérgio Buarque de Holanda busca na história colonial as origens dos atuais problemas nacionais. O escritor apresenta no livro como a vigente tentativa de erradicação da tradição indígena é uma herança histórica da colonização, visto que padres jesuítas e portugueses impunham aos nativos costumes da Europa, principalmente ao que se referia à religião e à linguagem. Um evento recente, o qual exemplifica como esse passado ainda não foi “superado”, foi o batismo de integrantes de uma tribo indígena, no Mato Grosso, pelo pastor Isac Santos. Apesar de o homem alegar que a aldeia já havia adotado a religião cristã, e que o batizado havia sido opcional, nada foi provado. Outra circunstância, deprimente, é o fato de que idiomas indígenas são considerados apenas dialetos no país, além de nenhuma de suas 274 línguas serem ao menos mencionadas em instituições de ensino. Sem dúvida, Buarque mostrou-se correto ao afirmar que essa “não aceitação” da cultura nativa é uma consequência da colonização.

 

Claramente, a discriminação contra indígenas é uma realidade presente desde a chegada de colonizadores portugueses ao território nacional. Entretanto, a rejeição intensificou-se nos últimos anos, devido à migração de diversos povos para zonas urbanas. A situação é consequência de muitos fatores – como queimadas, construções de hidrelétricas e avanços na agricultura – que obrigaram nativos a se retirarem de suas terras. Dessa forma, o preconceito e a intolerância passaram a vigorar, levando, principalmente, à violência contra essa parte da população. O Conselho Indigenista Missionário apontou o crescimento de 130% no número de índios assassinados em 2014, mostrando como a hostilidade ainda se assemelha a casos de mais de 500 anos atrás.

 

A fim de evitar a total erradicação de culturas indígenas e impedir atos preconceituosos, o Ministério da Educação há de expor a jovens estudantes parte da cultura nativa. Para isso, deve modificar sua proposta curricular para que haja a implementação do ensino de tradições indígenas em matérias como história, geografia e língua estrangeira. Assim, a longo prazo, a degradação da cultura indígena será evitada e ações preconceituosas serão impedidas.


Material de Apoio


Apoio 1

Apoio 2





Tutorial e tema [2 semestre] AULA 12 2018



Material de Apoio


Apoio 1

Apoio 2