Fale Conosco

Utilize o formulário abaixo para entrar em contato direto conosco, responderemos o mais breve possível.

Endereço:
Carlos Luzardo
Rua Gonçalo de Carvalho, 181
Porto Alegre, RS - Brasil

Map-trigger
Fechar

Aprovados 2013 - Depoimentos


Confira aqui a lista completa de aprovados!




Debora_eizerik

Débora Eizerik

Medicina UPF e PUC 2014

Sem dúvida, Português e Redação são as matérias de maior peso nos vestibulares do país, sendo necessário domínio e conhecimento de ambas pra que a aprovação seja conquistada. Nesse desafio é indispensável a escolha de um professor competente e engajado, e eu não poderia indicar ninguém diferente do Carlos. Ele torna o Português uma disciplina objetiva e matematizada - com muito humor, é claro - favorecendo a lógica em detrimento da decoreba do colégio. A metodologia ajuda perfeitamente na fixação dos conteúdos e a seleção de exercícios é impecável. O que mais me ajudou no material e nas aulas foram, sem dúvida, a organização e o planejamento, que percebi serem indispensáveis para a escrita de qualidade. A constante atualização e uma biblio/videoteca completa dão ao aluno oportunidade de estar sempre buscando novos conhecimentos para formar argumentos mais concisos e de tornar a leitura um hábito prazeroso. Os pré-provas foram incrivelmente eficientes, e o pragmatismo e a capacidade de síntese do professor fizeram com que fosse possível analisarmos uma prova de 10 questões em menos de uma hora. Nos plantões, mesmo lotados, todos os alunos são encorajados a questionar e esclarecer suas dúvidas. Ou seja, um trabalho de qualidade para aqueles que buscam aprovação em grandes universidades e uma relação além da professor-aluno com uma pessoa incrível.

Georgia pante

Geórgia Pante

Primeiro lugar geral UFRGS 2014

A frase que mais me marcou durante as aulas de português não envolve matéria alguma: “Português é uma matéria exata.” Saber o porquê de cada regra e passar a pensa-las como algo pouco subjetivo fez toda a diferença para a minha aprovação. Aprendi o conteúdo diversas vezes ao longo da minha vida escolar, mas nunca tinha entendido realmente. Até conhecer o Carlos, vírgula era pra dar uma pausa, verbo era decoreba e regência sempre foi uma chatice. Obviamente esse entendimento foi conquistado com muitos exemplos, plantões e uma paciência infinita para repetir quantas vezes fossem necessárias, ou seja, dedicação extrema.
A contribuição do ogrinho, no entanto, vai além que simplesmente me ajudar a acertar 24 questões na UFRGS e gabaritar a PUC. Foi alguém que sempre confiou em mim e conseguiu ver meus medos, minhas dúvidas e meus sonhos. O convívio foi além da relação aluno-professor. De um jeito nada delicado, construímos uma amizade verdadeira e tricolor, que, assim como os ensinamentos de português, vai me acompanhar pro resto da vida.

Luiza nunes

Luiza Nunes Pereira de Lima

Medicina UFRGS 2014 e segundo lugar medicina PUC 2014

Durante 3 anos de cursinho é natural surgir a dúvida em relação à escolha dos professores e se é possível render tendo o mesmo professor por todo esse tempo.. Muitos fui trocando, mas digo com toda certeza que abrir mão do Carlos foi impossível! Ninguém como ele consegue ensinar essa matéria tão subjetiva de uma forma tão objetiva e direta... Além disso, esse é o cara que mais entende da prova de português da UFRGS! Confiei totalmente nesse excelente trabalho e o resultado não poderia ter sido outro! Com um material de exercícios excepcional, aulas que passavam sem precisar olhar o relógio e plantões que sempre eram muito eficientes e divertidos não tinha como dar errado! Pra completar tiveram os grandes pré-provas de final de ano, que, sem dúvida, foram o fechamento de um trabalho impecável! Professor extremamente competente e querido! Vou sentir saudades de ti e das manhãs de sexta-feira que eram sempre alto astral apesar do cansaço da semana!

Bruna brasil

Bruna Brasil

UPF, PUC, UFSCPA

Num daqueles últimos dias de aula de 2012, eu estava finalmente rabiscando meu nome num pedacinho do muro da sede 1 quando o professor Carlos chegou e disse “É, Bruna, vamos nos separar”. Eu não me lembro bem o que respondi, mas uma espécie de curta-metragem passou pela minha cabeça naquela hora, mostrando parte dos momentos que passei desde que cheguei ao Mottola, inclusive minha primeira aula de todas, que foi a de português. Não vou dizer que foram momentos de pura felicidade, até porque, quando se está no pré-vestibular, um dos desejos que mais temos é fazer um ritual pagão de queima às apostilas e ingressar logo na faculdade. No entanto, acho que o Carlos me ajudou muito a transformar esse anseio em aprendizagem, o que me levou a encarar esse período de preparação, acima de tudo, como um processo de crescimento pessoal. Por isso, hoje percebo que a participação do Carlos – e de todos os outros que foram meus professores- foi, sem dúvida, essencial. Passados quase dois anos, tanto as aulas de língua portuguesa e redação quanto os seminários, os plantões na sala de leitura e as conversas informais fizeram-me perceber que levarei comigo um pouco daquilo feito por quem que me ajudou na conquista dos meus objetivos, o que é muito bem sintetizado por uma frase do escritor Antoine de Saint Exupéry, que diz o seguinte: “Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós.".

Luiza van der sand

Luiza van der Sand

ULBRA (1° Lugar), UFRGS

Em um ano de tanto esforço e dedicação na preparação para o vestibular, torna-se essencial a escolha de professores que nos guiem com sabedoria, principalmente, em matérias tão temidas por vários, como português e redação. As aulas com o Carlos, além dos exercícios e das notícias sempre enviadas, entretanto, puderam me proporcionar a segurança necessária para fazer as provas. Tão importante quanto um material completo, foram os plantões sempre disponíveis como complemento do estudo. Além disso, a relação aberta com o professor, tornando as aulas e plantões agradáveis e muitas vezes descontraídos, sem dúvida, foi um degrau essencial para alcançar o objetivo de entrar na medicina!

Luiza doro

Luiza Doro

UPF, PUC

Chegar no Mottola ainda com as impressões escolares sobre Português e Redação foi ter que abrir a cabeça pra uma aula completamente diferenciada - todo o sofrimento por lista de excessões não decoradas transforma-se em raciocínio, descobre-se que a gramática possui, sim, lógica e que o trabalho de redação rende muito mais quando se começa a focar mais em desenvolver uma leitura crítica da atualidade e menos nas listas de nexos. É um trabalho completo, prepara para o vestibular não apenas pelo conhecimento mas principalmente pelo desenvolvimento da capacidade de análise lógica e, consequentemente, da autoconfiança. Foi um ano gratificante, em que o medo e a insegurança dessa fase de vestibular são amenizados quando se percebe que se conta com o apoio de um professor apto pra te avaliar com coerência e ser franco nas suas colocações. Por fim, levo da convivência com o Carlos a lembrança de alguém que me despertou para a consciência cidadã e me fez acreditar no meu potencial. E isso eu levo para a vida.

Gabriela steckert

Gabriela Steckert

PUC (1° lugar), UFRGS

Para pessoas que, como eu, têm uma maior inclinação para as disciplinas exatas, Língua Portuguesa pode ser considerada um grande pesadelo. Assim, a escolha de ter aulas com o Carlos foi essencial para a minha aprovação. O trabalho proposto por ele, para o ano de 2012, foi o único, em toda a minha vida, que visou o real ensino da nossa língua, considerando todas as dificuldades e obstáculos dela.

Com aulas minuciosamente planejadas, material de ótima qualidade e organizado e a dedicação intensa do professor, foi possível um aprendizado profundo e correto. Além da disponibilidade de plantões e da fácil comunicação, o diferencial da aula do Carlos com certeza é a pausa na aula para discutirmos fatos da semana, pois ajudam muito na formação do nosso caráter, de nossas opiniões e, consequentemente, na redação. Foi através do esforço e do empenho dele que consegui realizar meu sonho, já que ele conseguiu acabar com a minha insegurança e dificuldades em português, que é uma das matérias de maior peso.


Cursando


Tatiana tellechea

Tatiana Tellechea

PUC

Sempre gostei de Português. Desde pequena, ler e escrever eram atividades que me encantavam. Talvez por isso, ou talvez pelo grande valor agregado a esta prova, era a matéria em que minha exigência era maior.
Quando entrei no Mottola e iniciei as aulas de português, no entanto, tive certeza de que não precisaria me preocupar: eu estava nas mãos do melhor.
Durante as aulas, eu não conseguia nem piscar: ali estava o entendimento de tantas regras de acentuação e pontuação, até então obscuras para mim, a resolução dos exercícios mais difíceis e a indicação de livros e filmes que nos seriam úteis para a prova dissertativa.
Além das aulas de português, eu participava das aulas de redação, momento em que discutíamos temas passados e debatíamos possíveis enfoques. Entendi, principalmente, que mais importante do que ter um ponto de vista comum, é ter criatividade para criar e conhecimento para embasar o nosso próprio. Os ensinamentos não paravam por aí: os plantões – ferramenta mais fantástica na relação aluno-professor – eram momentos de esclarecimento de dúvidas, onde descobri que, além de cessar as minhas próprias, escutar a dos outros também era bastante produtivo.
A confiança já havia sido depositada, mas eu também obtinha auxílio no suporte psicológico. Tanto durante as aulas, quanto nos vestibulares, podia reestabelecer a calma e aliviar o fardo que carregava com uma boa conversa.
Ingressei a PUCRS e agora estou entrando no terceiro ano. Me orgulho muito da faculdade em que estou e tenho certeza de que conto com a estrutura de uma das melhores.
Até hoje, sinto o quanto as aulas no Mottola me ajudaram. E lembro, com saudades, dos ensinamentos que ali recebi, não só para o vestibular, mas para a vida.

Bernardo crespo

Bernardo Crespo

UCPEL

Shrek resgata princesas, Luzardo salva pessoas

Mesmo fazendo uma “boa” preparação num colégio muito bem conceituado na minha cidade para o vestibular, acabei enfrentando várias dificuldades nas provas - e na disciplina de Português não foi diferente. Com uma base teórica fraca, opiniões distorcidas por desconhecer nossa realidade social e uma acentuada ingenuidade, levaram-me, não só ao fracasso obviamente, mas à necessidade de buscar conhecimento e maturidade. Busquei esse auxílio no Mottola. O professor Carlos Luzardo teve importância fundamental no meu crescimento pessoal. Sua didática impecável tornou o aprendizado divertido e fácil. Seu material e planejamento de curso otimizaram minha aprendizagem. Sua empatia nos aproximou, complementando meus estudos (não só no esclarecimento de dúvidas, mas também com conselhos pessoais). A aprovação tornou-se iminente. Atualmente, curso Medicina na UCPel, cuja avaliação no MEC tornou-se 4 de 5. Confesso que inicialmente tinha um certo preconceito por essa universidade, mas após vivenciar seu método de ensino percebi que estava equivocado. Tenho certeza de que não teria realizado essa conquista na minha vida se não obtivesse essa preparação no Mottola. Portanto, depois de toda essa trajetória, passei a considerar o Luzardo não só um professor, e sim um amigo - de forma que serei sempre grato por sua contribuição no meu crescimento pessoal.

Vinicius cabral

Vinicius Cabral

UFRGS

Poucos têm o verdadeiro dom da palavra, e mesmo esses frequentemente precisam ser estimulados de maneira correta para despertar o gosto pela escrita e para apreciar a rica língua portuguesa. No entanto, para a grande maioria, aprender a redigir uma redação e interpretar um texto pode ser uma tarefa extremamente árdua, sendo necessário um verdadeiro mestre para ensiná-los. Posso afirmar que, após um ano de convívio com o professor Carlos Luzardo nas aulas de Português, Redação e incontáveis plantões semanais, ele faz parte desse seleto grupo de grandes mestres do nosso idioma. Lembro-me que minha primeira impressão em suas aulas foi de que eu não falava com um professor, mas sim, com um colega – um colega extremamente sábio, capaz de elucidar seu ponto de vista de maneira brilhante e de variadas formas. Durante o ano, diversos foram os plantões, as ligações para tirar dúvidas, as instruções e palavras de apoio antes das provas, e, com todo esse convívio, fui capaz de perceber que o professor Carlos dava atenção a cada aluno como se ele fosse o único, o que me fez admirar profundamente a sua pessoa. Aquele professor descontraído e ao mesmo tempo eficiente em seu trabalho acreditou no meu potencial, motivando-me a não desistir e a sempre sonhar alto. Hoje, estudando medicina na UFRGS, levo seus ensinamentos para minha vida, mas, sobretudo, levo a certeza de uma grande amizade.


Formados


Mohamad read

Mohamad Read

UCS

Em 2004 comentei com a Carolina Engueroff que eu precisava aprender português, mas procurava alguém que fosse acessível: a resposta foi imediata, Carlos Luzardo, curso Móttola, bom professor, objetivo e acessível. Passados nove anos, vejo com imensurável satisfação que, além de aprender português e redação para as provas, aprendi para toda a vida. Fórmulas esquecemos, nomes de rios confundimos, personagens literários desaparecem das nossas memórias, entretanto saber interpretar e escrever um bom texto andam conosco sempre. Só tenho a agradecer ao professor e amigo Carlos Luzardo, que me ensinou muito mais que sintaxe, ortografia ou o emprego correto de vírgulas - me deixou o exemplo de boas leituras, me mostrou que, para saber escrever, é preciso ler e interpretar, que é possível descomplicar o que parece complicado. Mas acima de tudo ajudou a formar um ser humano melhor, mais confiante e com poder de enxergar que somos capazes de fazer o que quisermos, basta acreditar.

Henrique mohr

Henrique Mohr

UFRGS

Iniciar os estudos no Mottola não é algo do qual me lembro como simplesmente uma nova etapa na minha vida de estudante. De repente, tendo há poucos dias completado dezoito anos, lá estava eu em Porto Alegre, longe da família, afastado dos amigos mais próximos, conhecendo novas dificuldades e novos desafios. Quando me recordo desses momentos o que mais fica claro pra mim é que toda essa fase é, sobretudo, um rico momento de amadurecimento pessoal. Concomitantemente, vem o desafio intelectual dos estudos e das aulas como preparação para o vestibular. As aulas de português do prof. Carlos Luzardo entraram como um elo de ligação entre o meu crescimento pessoal e intelectual, pois, à medida que discutíamos temas de redação, líamos textos e conversávamos sobre a nota da redação e o porquê da mesma, de alguma forma estávamos abordando questões inerentes à formação humanística de qualquer pessoa. Discutir e escrever sobre egoísmo, amor, transgressão e humor são coisas que extrapolam o protocolar. Não é simplesmente cumprir com os critérios para uma boa nota. E, de alguma forma, o Carlos deixa isso bem claro e conduz a aula de uma forma extremamente agradável, sem nunca esquecer que, a despeito de nossa obsessão pela aprovação, estamos inseridos num contexto maior de formação de intelecto e de personalidade. Enfim, posso dizer que recordo com um delicioso prazer as tardes em que caminhava pela André Puente, subia as escadas da sede dois, tomava um café, conferia a correção da redação da semana anterior e me sentava confortavelmente para uma excelente aula de português e redação que, no fim, era ainda mais que somente uma aula de português e redação.